A invenção do campo disciplinar da Arquitetura: contribuições e contraposições renascentistas

Carlos Antonio Leite Brandão

Resumo


Na matéria intitulada A invenção do campo disciplinar da Arquitetura: contribuições e contraposições renascentistas, Carlos Antônio Leite
Brandão indica que, se a constituição madura do campo disciplinar a Arquitetura só ocorrerá no século XVIII (quando da consolidação do agrupamento moderno das artes), pensar a Arquitetura como disciplina no Renascimento só pode ser visto como um momento proto-moderno, quando ela não mais se enquadra nos agrupamentos medievais enquanto arte mecânica ou subalterna - na medida em que foi aproximada das artes liberais do espírito e do desenho, como em Vasari - mas ainda não adquiriu a constituição autônoma que a distinguirá das ciências, da moral e das demais artes. Brandão busca estudá-la nesse intermezzo e dar a ver em que medida se altera o local que ela ocupa na cultura e no saber diante do medievo, e quais as contribuições que ela, se examinada neste novo local cultural, fornece para a nossa produção e seu estatuto disciplinar na contemporaneidade.

O artigo relata algumas contribuições oferecidas pela Renascença para a
constituição futura do campo disciplinar da Arquitetura, tal como ela será
compreendido no moderno sistema das artes. Contudo, isto não recobre
toda a Renascença pois é justamente ao não definir-se rigidamente dentro
de uma determinada fronteira que a arquitetura do Quattrocento deixarse-
á contaminar por outros campos, tais como a ciência, a matemática,
a retórica, a literatura clássica, os studia humanitatis e as demais artes.
Brandão conclui seu estudo examinando como a invenção na arquitetura
do Renascimento (Alberti e Leonardo) se deu justamente a partir deste
contágio e de ser seu campo difuso.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.