Strategie della finzione nelle utopie dei Cinquecento europeo — Sulla ricezione dell'Utopia di Thomas More nei testi di Eberlin von Günzburg, Antonio Brucioli, Anton Francesco Doni, Kaspar Stiblin e Tommaso Campanella

Christian Rivoletti

Resumo


O artigo de Christian Rivoletti, intitulado "Strategie della finzione nelle utopie dei Cinquecento europeo — Sulla ricezione dell'Utopia di Thomas More nei testi di Eberlin von Günzburg, Antonio Brucioli, Anton Francesco Doni, Kaspar Stiblin e Tommaso Campanella", dá ênfase à combinação entre esforço intelectual - ressaltando o caráter lúdico do escrito como estratégia ficcional - e empenho político na Utopia de Morus, o que faz o autor desenvolver sua análise numa perspectiva histórico-estética, ou seja, a da recepção da obra moreana em diferentes momentos e ambientes também diversos, quais sejam: 1) o dos leitores humanistas do texto; 2) o de suas traduções em linguas vernáculos; e 3) o da produção européia de textos utópicos. Rivoletti procura também traçar uma tipologia das estratégias ficcionais em Morus, individuando elementos como a predominância do testemunho direto sobre a dialética argumentativa, a extensão imaginária das dimensões espaciais, o valor metafórico da viagem, o jogo onomástico ressaltando o caráter paradoxal do texto e a inclusão, no texto, de um juízo discordante.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.