A Ilha dos Hermafroditas (Paris, 1605) em seu ambiente histórico

Ana Claudia Romano Ribeiro

Resumo


A Ilha dos Hermafroditas é um libreto utópico que circulou na corte francesa no início do século XVII. Não existem certezas absolutas sobre a data de sua composição e publicação, nem sobre seu autor, nem sobre suas circunstâncias históricas precisas e nem sobre suas intenções. Pouco conhecida na França e ainda menos no Brasil, esta obra é exemplar, pois ilustra o gênero utópico e a mentalidade dos inícios da era barroca. Ela é não somente a primeira utopia mas também a primeira antiutopia francesa . O texto de Artus Thomas não propõe um modelo de sociedade perfeita detalhadamente explicado, mas está em estreita ligação com a realidade de sua época, criticada no texto muito ironicamente. Isso levou alguns estudiosos a considerarem A Ilha dos Hermafroditas uma mera descrição satírica da corte de Henrique III e de seus favoritos, sem ver aí qualquer perspectiva utópica. No presente artigo pretendemos comentar esta utopia à luz de seu ambiente histórico, e apresentar a tradução de dois de seus ítens: "Ordenanças sobre o fato da religião" e o "Artigo de fé dos hermafroditas".


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.