Notas sobre uma tentativa de tradução do De origine vita Dantis de Boccaccio

Pedro Falleiros Heise

Resumo


A proposta deste artigo é apresentar algumas das dificuldades com que o tradutor se depara ao trabalhar com textos literários antigos, mais especificamente quando se trata de autores tão complexos quanto Boccaccio. Mesmo em suas obras consideradas menores, a profundidade do texto fornece reflexões para o tradutor, como no caso da biografia que o amante de Fiammetta escreveu em homenagem a Dante. Partindo do pressuposto de Walter Benjamin relativo à tradução, isto é, de que uma tradução não deve encobrir o original, propomos tecer considerações sobre alguns dos obstáculos que o tradutor terá que enfrentar para trasladar o texto de Boccaccio em língua portuguesa.


Texto completo:

PDF

Referências


BOCCACCIO, Giovanni. Vite di Dante. Milão: Mondadori, 2002.

BRANCA, Vittore. Tradizione delle opere di Giovanni Boccaccio. Roma: Edizioni di Storia e Letteratura, 1991, vol. 2.

LAUSBERG, Heinrich. Elementos de retórica literária. Tradução, prefácio e aditamentos de R. M. Rosado Fernandes. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2004.

LOPRIORE, Giuseppe Italo. “Le due redazioni del Trattatello in Laude di Dante del Boccaccio”. In: Studi Mediolatini e Volgari. Bolonha: Libreria Antiquaria Palmaverde, vol. III, 1955.

MAGGINI, Francesco. “Il Boccaccio dantista”, Miscellanea storica della Valdelsa, XXIX, 1921.

PARODI, Ernesto Giacomo. “Osservazioni sul cursus nelle opere latine e volgari del Boccaccio”. In: Folena, Gianfranco (org.). Lingua e letteratura. Veneza: Neri Pozza Editore, 1957.

RICCI, Pier Giorgio. “Introduzione”. In: Boccaccio, Giovanni. Vite di Dante. Milão: Mondadori, 2002, p. V-XV.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.