A “Festa Brasileira” ou o Teatro do “Bom Selvagem”: um estudo sobre o Papel do índio brasileiro na entrada de Henrique II em Rouen em 1550

José Alexandrino de Souza Filho

Resumo


O artigo estuda a “festa brasileira”, representação de caráter teatral encenada durante a entrada de Henrique II em Rouen em 1550, cujo tema era a vida dos índios brasileiros. Num primeiro momento, analisamos a documentação existente sobre o evento, para em seguida descrever como se deu a encenação, enfatizando o caráter idealizado atribuído à figura do índio. A “festa brasileira” articulava-se com outro espetáculo da entrada: a naumaquia, o combate naval entre franceses e portugueses. Ambas as atrações, por sua vez, fazem parte de uma todo maior, que inclui as alegorias apresentadas em Rouen intramuros. O conjunto consistia em criar um grande espetáculo que representasse o triunfo da monarquia e da civilização francesas em articulação com um projeto de expansão territorial de além-mar: a conquista do Brasil. Em Rouen, assistiu-se à encenação de um projeto colonial que pretendia ser diferente daquele praticado pelos espanhóis e portugueses no Novo Mundo. Os franceses imaginavam um modelo de colonização que consistia na execução de uma política de aproximação com os silvícolas, e não na sua eliminação física ou escravidão. A isso chamamos de “política do bom selvagem”.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.