Zanzalá, uma utopia brasileira

Cristina Meneguello

Resumo


Em 1928, o escritor socialista, poeta e jornalista Afonso Schmidt (1890-1964) iniciou a publicação, no jornal O Estado de São Paulo, de seu romance Zanzalá, no qual descrevia sua cidade natal na Serra do Mar, Cubatão, no ano de 2029. Esta enigmática narrativa, que alia uma utopia urbana futurística de amplas avenidas à uma guerra contra selvagens tribos vizinhas, foi posteriormente publicada como livro (1942). Mais bem conhecido como o autor de Colônia Cecília (1942), que descreve a experiência nacional de uma colônia anarquista entre os anos de 1889 e 1894, o legado de Schmidt, influente jornalista e literato popular, ainda está por ser amplamente estudado. Este artigo objetiva analisar os padrões utópicos presentes em Zanzalá assim como compreender a relação entre o trabalho de Schmidt e os utopismos brasileiros dos séculos XIX e XX.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.