O eu e o outro nas Lettres chinoises, de Voltaire

Emerson Tin

Resumo


A partir de uma leitura de algumas das Lettres chinoises, indiennes et tartares à Monsieur Paw, par un benedictin, avec plusieurs autres pièces interesantes, de Voltaire, publicadas em Londres em 1776, pretende-se analisar em que medida o autor traça um retrato da sociedade em que vivia, criticando-a pelos olhares que lança a outras culturas (por exemplo, a carta V, que versa sobre as leis e os costumes da China), de modo a concebê-las (ou não) como um modelo (utópico?) em contraposição à França do século XVIII.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.